Quem sou eu

Minha foto

Durante muitos anos mergulhei em diversas áreas de conhecimento com o objetivo de produzir livros. Estudei filosofia clássica, filosofia moderna, diversos temas de psicologia, pedagogia, sociologia e diversos conhecimentos relacionados a filosofia e a medicina oriental, a qual podemos incluir o budismo, a prática zen japonesa e as medicinas tibetanas, indianas e chinesa.

Agora me considero pronto. Serão dez livros em dez anos. O primeiro #livro já saiu, em 2015, intitulado "Quando os anjos caminham sem asas"

domingo, 3 de janeiro de 2016

Quarta Capa do livro "Quando os Anjos Caminham sem Asas"

Nesta postagem, divulgo a sinopse da história: Três anos após o exílio do Dalai Lama, nasce um menino no coração da cidade de Lhasa. Órfão, Bidth não possui raízes. Aparentemente solitário no mundo que acabara de conhecer, a criança surpreende, impactando a todos com a sua impressionante alegria no olhar. Criado nos seus primeiros meses dentro de um orfanato, Bidth desperta a atenção de monges e lamas de um mosteiro, além de um mestre chinês de Kung Fu, pois o seu destino evidenciava-se como o de um possível encantador de almas. Bidth, uma criança capaz de promover o sentimento de paz e equilíbrio em qualquer ambiente, aprende conceitos orientais diversos apoderando-se não somente da compaixão tibetana. Aprende também a visão japonesa zen e se fortalece com a visão taoista do yin e o yang chinês. Adotado e abastecido pelos ensinamentos de seus mestres, o menino ultrapassa seus anos no Tibete, produzindo mensagens, através de ações e comportamentos inusitados, dentro e fora do mosteiro, e cercado por diversos outros personagens familiarizados com o seu brilho e o seu carisma. Palavras como compaixão, bondade, desapego, aceitação e equilíbrio, descrevem bem a personalidade de Bidth. Um nome que, em sânscrito, possui como significado algo que melhor lhe representa: a sabedoria.